terça-feira, 30 de novembro de 2010

Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos abre Centro de Negócios em Angola


Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (ApexBrasil), recentemente considerada "Best Trade Promotion Organization from a Developing Country" pelo International Trade Centre,  abriu esta semana um Centro de Negócios em Luanda, Angola. É o 7º Centro de Negócios da ApexBrasil no mundo, a par de estrututras semelhantes já existentes na Ásia (Pequim, China), Médio Oriente (Dubai, Emirados Árabes Unidos), América do Norte (Miami, Estados Unidos), América Latina e Caraíbas (Havana, Cuba), Europa  Central e Oriental (Varsóvia, Polónia, e Moscovo, Rússia) e Europa Ocidental (Bruxelas, Bélgica). Apesar da já significativa presença de empresas brasileiras no mercado angolano, será de prever, com a criação desta estrutura de apoio à internacionalização das firmas brasileiras, um aumento da concorrência aos produtos e interesses económicos portugueses em Angola.

Leituras: “Polish foreign policy: dancing with the big boys”


(Foto: The Economist/Claudio Munoz)

Interessante artigo da revista “The Economist” sobre as significativas mudanças  e as novas prioridades da politica externa polaca. Uma politica externa “...more pragmatic and less romantic (…) and for the first time in decades, Poland is a player, not a playgroud, in European diplomacy (…) and perhaps the first time in its history, Poland has good relations with Germany, Russia and America at the same time”. Um dos principais artificies destas mudanças é, sem dúvida, o actual Ministro polaco dos Negócios Estrangeiros, Radosław Sikorski (veja também aqui uma nota biográfica mais desenvolvida), um antigo jornalista, formado em Oxford,  que chegou a cobrir, em meados da década de 80, os conflitos armados em Angola e no Afeganistão (tendo alcançado o World Press Photo Prize de 1987) e que é casado com a escritora e jornalista Anne Applebaum, vencedora, em 2004, do prémio Pulitzer (categoria "não ficção") com o seu livro “Gulag: A History” (com tradução portuguesa da Livraria Civilização Editora).

domingo, 28 de novembro de 2010

Portugal alcança 8ª posição no "Commitment for Development Index'2010" do Center for Global Development

Desde 2003, o Center for Global Development (CGD), um dos mais importantes "think tank" norte-americanos, publica o "Commitment to Development Index". Na introdução a este indicador, o CGD refere o seguinte: "Which rich countries are doing the most to help poor ones? Rich and poor nations are linked in many ways—by foreign aid, commerce, the environment, and more. Each year, the Commitment for Development Index (CDI) rates rich-country governments on how much they are helping poor countries via seven key linkages: aid, trade, investment, migration, environment, security, and technology". Em 2010, Portugal surge muito bem classificado no CDI: na 8ª posição, à frente de países como o Canadá, Espanha, EUA, Áustria, Austrália, Alemanha, entre outros, num "ranking" liderado pela Suécia. Veja aqui mais informações sobre este projecto.


Vitória de António Marinho Pinto nas eleições para bastonário da Ordem dos Advogados

António Marinho Pinto foi reeleito como bastonário da Ordem dos Advogados. A vitória de um espírito livre, inconformado, frontal, sem medo e solidário. Aguardo com expectativa o seu segundo mandato na Ordem dos Advogados.

sexta-feira, 26 de novembro de 2010

Candidaturas a financiamento de investigação na área da economia e gestão (FCT - Fundação para a Ciência e a Tecnologia)

Via blogue Empreender, de Vasco Eiriz Sousa, tivemos conhecimento da lista de 144 projectos das áreas da economia  e da gestão candidatos a financiamento governamental no âmbito da Fundação para a Ciência e a Tecnologia. Estes projectos vão ser avaliados por um júri internacional, liderado por Robert Peterson.


The Top 10 Economists on Twitter: as escolhas de Tim Harford e do Oxford Economics Blog

Veja aqui algumas das escolhas de Tim Harford no Twitter:  a lista de "Top 10 Economists" e  também as   "Honourable mentions". Ou ainda o mesmo ranking -"Top 10 Economists"-, de acordo com a selecção do Oxford Economics Blog.

domingo, 14 de novembro de 2010

sexta-feira, 12 de novembro de 2010

"Observatoire du Fabriqué en France"

O ministro francês da Industria, Christian Estrosi, decidiu criar o "Observatoire du Fabriqué en France" que tem por objectivo medir, em termos estatisticos, o que é fabricado no seu país e, em última análise,  o estado da industria francesa.

O "Observatoire du Fabriqué en France" vai utilizar 3 indicadores principais que serão actualizados anualmente, a saber:

" - La part française des produits fabriqués en France, passée de 75 % à 69 % entre 1999 et 2009, mesure la valeur de la production due aux acteurs français. Aujourd’hui, les produits français contiennent plus de pièces de fabrication étrangère qu’auparavant. Ce phénomène concerne surtout l’aéronautique, le ferroviaire, l’agroalimentaire et les industries de santé. A l’inverse, l’industrie navale, la mode et le luxe utilisent de plus en plus de composants fabriqués en France.

- Le positionnement des filières françaises dans les échanges mondiaux : en dix ans, l’industrie française est devenue globalement importatrice.

- La part des produits fabriqués en France parmi les produits vendus dans l’Hexagone, qui est passée de 67 % à 64 %, permet d'évaluer le niveau de la demande intérieure satisfaite par la production nationale. Cette baisse touche en particulier l’automobile et les industries de santé. A l’inverse, les produits fabriqués en France dans l’aéronautique, le ferroviaire et les technologies de l’information gagnent de l’importance sur le marché intérieur.

 Ces données, fournies par l’Insee et les douanes, permettent d’étudier dix secteurs stratégiques pour l’industrie française : l’automobile ; l’aéronautique ; le ferroviaire ; la construction navale ; les technologies de l’information ; la mode et le luxe ; les biens de consommation ; la chimie et les matériaux ; la santé ; l’agroalimentaire."

Veja também aqui a opinião e o posicionamento dos franceses sobre os produtos "Made in France".

"Doing Business'2011" - Portugal facilita condições para a realização de negócios


No inicio deste mês foi lançado pelo World Bank o estudo "Doing Business 2011: Making a Difference for Entrepreneurs". Nesta edição, e segundo a nota de imprensa do World Bank, os destaques são os seguintes: 
"- Kazakhstan took top honors for the most-improved business environment in 2009/10;
- Singapore leads the world in the ease of doing business for the fifth year running;
- About 85 percent of the world’s economies have made it easier for entrepreneurs to operate in the past five years."
 
No ranking deste ano, Portugal ocupa a posição 31ª, subindo 2 lugares em relação ao ano 2010 (33ª posição).

"Asia's Most Admired Companies" (Wall Street Journal)

O Wall Street Journal acaba de publicar a "Annual Survey' 200". Nesta "survey" surgem em posições relevantes, nas suas categorias e em diversos paises,  as empresas Alibaba.com Ltd. (China), Infosys Technologies Ltd. (India), Nintendo Co. (Japão),  Samsung Electronics Co. (Coreia do Sul) e Semiconductor Manufacturing Co. (Taiwan).

segunda-feira, 8 de novembro de 2010

quinta-feira, 4 de novembro de 2010

Need success? I need Spain - ICEX



Veja este excepcional video institucional de promoção internacional das empresas espanholas, realizado pelo ICEX - Instituto Espanhol do Comércio Externo, que aproveita as sinergias resultantes da vitória  alcançada pela selecção do país vizinho da última fase final do Campeonato do Mundo de Futebol. A mensagem deste video é seguinte: "¿Qué tienen en común la victoria de la Selección Española en el Mundial de Fútbol de Sudáfrica y las empresas españolas? Principalmente, los valores que han contribuido a su éxito fuera de España: competitividad, liderazgo, trabajo en equipo, fiabilidad, creatividad y estrategia, entre otras". Parabéns Espanha!

A internacionalização como factor preponderante de inovação empresarial

O "Centre d' Analyse Stratégique", organismo de análise e reflexão estratégica na dependência directa do Primeiro-Ministro francês, acaba de publicar um "paper" denominado  "Innovation et Internationalisation des Entreprises Françaises - S’implanter à l’étranger : un atout pour réaliser sa première innovation"  que conclui que a internacionalização é um importante motor de inovação para as empresas, sobretudo para aquelas que se instalam em países desenvolvidos. Este artigo, baseado num estudo realizado junto de 2 300 firmas francesas, refere também que a internacionalização desempenha um papel mais relevante que a dimensão das empresas no processo de inovação empresarial. O estudo adianta ainda que empresas instaladas no estrangeiro dão mais atenção à renovação e à melhoria da qualidade dos seus produtos do que as empresas com exclusiva actividade no mercado interno que optam, sobretudo, por dar prioridade à redução de custos e à flexibilização do processo de produção.

segunda-feira, 1 de novembro de 2010